Promoção!
Promoção! SPCE_2013_F+V

Escola a Tempo Inteiro [Prémio SPCE 2013]

14.90 13.41

Categoria:

“(…) O grande mérito desta obra reside, não só, no contributo que dá para o conhecimento de uma medida política relevante, mas sobretudo (e é aí que faz a diferença com investigações congéneres centradas na mesma política) no facto de utilizar esta medida como um analisador das políticas públicas para o 1º ciclo do ensino básico. Neste sentido, os modos como foram justificadas, elaboradas, decididas e ordenadas as diversas normas e regulamentos que configuraram a política de “Escola a Tempo Inteiro” traduzem uma perceção mais vasta dos referenciais para o serviço público de educação, neste nível de ensino, nomeadamente no que respeita à sua missão, às características que devem reger a sua provisão, ao papel do Estado e dos diferentes níveis da sua administração, à construção de uma ordem educativa local. (…) É uma obra que passará a constituir uma referência incontornável para o conhecimento das políticas públicas recentes, em Portugal, no ensino do 1.º ciclo e cujo poder indagativo (no domínio metodológico e analítico) a torna um instrumento imprescindível para a formação inicial e contínua dos professores e para os estudiosos das políticas públicas de educação.”
João Barroso
(no Prefácio)

Ler Excerto do Livro
  • PARTE I
  • PARTE II
  • PARTE III
  • PARTE IV
  • PARTE V
  • PARTE VI
  • PARTE VII

PREFÁCIO

1. UM ITINERÁRIO PARA A ANÁLISE DA POLÍTICA DE “ESCOLA A TEMPO INTEIRO”

1.1. Do 1.º ciclo do ensino básico como problema de política educativa à política de “escola a tempo inteiro” como solução – uma problemática

1.2. Mobilização de um quadro teórico interpretativo – a “análise das políticas públicas”

1.3. A ação do Governo na formulação da política de “escola a tempo inteiro” – emergência de um objeto de estudo

1.4. “Lugares” em observação e discursos dos atores – coordenadas de um itinerário metodológico

1.5. Estrutura do texto

2. ENQUADRAMENTO TEÓRICO E INTERPRETATIVO – UMA ABORDAGEM PELA “ANÁLISE DAS POLÍTICAS PÚBLICAS”

2.1. Contributos para uma definição de política pública

2.2. Coordenadas de análise de uma política pública

2.3. Os sentidos de uma política pública – uma abordagem pela “análise cognitiva das políticas públicas”

2.3.1 – O “referencial normativo” de uma política pública e o papel do “mediador político”

2.3.2 Os fundamentos cognitivos de uma política pública – os processos de “problematização” e de “fabricação de ideias”

2.3.3. A relação entre os fundamentos e a operacionalização da política pública – o papel dos “instrumentos de ação” do Governo

3. ENQUADRAMENTO DA POLÍTICA DE “ESCOLA A TEMPO INTEIRO”

3.1. O 1.º ciclo do ensino básico como problema de política educativa e a política de “escola a tempo inteiro” como solução

3.2. Um “modelo” de operacionalização da política de “escola a tempo inteiro”

3.2.1. Traços do processo de “problematização” do “modelo” de operacionalização política de “escola a tempo inteiro”

3.2.2. Quadro normativo do “modelo” de operacionalização da política de “escola a tempo inteiro”

3.2.3. Aproximação do “modelo” ao conceito de “instrumento de ação” do Governo

4. DIMENSÃO EDUCATIVA DA POLÍTICA DE “ESCOLA A TEMPO INTEIRO”: REPRESENTAÇÃO DE UM “NOVO MODELO EDUCATIVO”

4.1. Uma “educação global” do aluno em contexto escolar

4.2. A retórica do “não-formal” e a expansão da “forma escolar”

5. “DIMENSÃO POLÍTICA” DA POLÍTICA DE “ESCOLA A TEMPO INTEIRO”: UM “NOVO PARADIGMA DE ESCOLA PÚBLICA”

5.1. A centralidade da escola pública na prestação de serviços públicos de educação

5.2. A monopolização do serviço público de educação pelo Estado através da escola pública como garantia de igualdade de oportunidades e de eficácia

5.2.1. Promoção de um “modelo” de prestação de serviços educativos uniforme e estatizado

5.2.2. Preconização de um “modelo “de serviço público de educação inibidor de lógicas de “livre-escolha”

6. “DIMENSÃO ADMINISTRATIVA” DA POLÍTICA DE “ESCOLA A TEMPO INTEIRO”: UMA “NOVA FORMA DE ADMINISTRAÇÃO”

6.1. Lógicas de mediação autárquica: a retórica da descentralização e a emergência de novas formas de poder

7. O PONTO DE CHEGADA DA ANÁLISE DA POLÍTICA DE “ESCOLA A TEMPO INTEIRO” – AS “IDEIAS” CONSTRUÍDAS E O PAPEL DO ESTADO

7.1. Os contornos das “ideias” em que assenta o “modelo” de operacionalização da política de “escola a tempo inteiro”

7.2. As “ideias” como variáveis explicativas e reveladoras da ação do Estado REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Nº de páginas: 112 pp | PVP 14,90€

Autor

Carlos Pires

 

Informação adicional

Peso 400 g

Avaliações

Não existem opiniões ainda.

Seja o primeiro a avaliar “Escola a Tempo Inteiro [Prémio SPCE 2013]”